20 de jan de 2021

Conheça as Diferenças Entre Fertilização In Vitro e Inseminação Artificial

Compartilhe este post

Os tratamentos  de reprodução humana são divididos em duas vertentes, alta e baixa complexidade. Essa classificação se dá pela forma em que ocorre a fertilização, e mais especificamente, onde ela ocorre.

Nos tratamentos de baixa complexidade, que são o coito programado, e a inseminação artificial, ou intra-uterina, eles ocorrem na tuba uterina Já a fertilização, como o próprio nome já define, ocorre no laboratório, com auxílio de um embriologista, por isso, é denominado como um tratamento de alta complexidade. 

Para entendermos melhor a diferença entre elas, listamos algumas características que irão te ajudar no momento de tomar essa decisão. 

O que é fertilização in vitro?

A fertilização in vitro (FIV) é um procedimento de alta complexidade utilizado para tratar diversos casos de infertilidade, como problemas nas tubas uterinas, alterações graves no espermograma, endometriose grave, idade materna avançada, baixa reserva ovariana e casos com óvulos congelados.

É o tratamento de reprodução assistida com maiores chances de gravidez. O tratamento consiste em:

  1. Estimulação ovariana, com medicação injetável, para que tenhamos o crescimento dos folículos e amadurecimento dos óvulos. 
  2. Captação dos óvulos, guiado por ultrassom, realizado com sedação. 
  3. Coleta ou descongelamento do sêmen. 
  4. Fertilização, que ocorre no laboratório 
  5. Acompanhamento do desenvolvimento embrionário (nas incubadoras) 
  6. Transferência dos embriões. 

O que é Inseminação artificial?

Já a inseminação artificial ou intra-uterina é um tratamento de reprodução assistida que requer alguns critérios para que possamos indicá-la: 

  • idade menor que 38 anos; 
  • tubas pérvias, ou ao menos uma delas pérvia.
  • sêmen com pelo menos 5 milhões de espermatozóides móveis. O tratamento consiste em injetar o sêmen preparado, com um cateter no útero, no momento em que a mulher ovulou. 

O espermatozóide percorrerá o útero, a tuba, e se encontrará com o óvulo, podendo fertilizá-lo, e formar um zigoto, que evoluirá na tuba uterina até o estágio de blastocisto, e então no útero, implantará, resultando em gestação. 

Fertilização in vitro e inseminação artificial — Quais as diferenças?

A principal diferença entre os dois processos, é onde ocorre a fertilização e onde é formado o embrião. Nos tratamentos de baixa complexidade, como a inseminação artificial, ele é formado na tuba uterina, assim como ocorre em uma gravidez natural. 

Já na fertilização in vitro, os óvulos e espermatozóides são captados e a fertilização ocorre no laboratório.

Também há mais diferenças:

  • os procedimentos: na inseminação, o único procedimento ocorre pela injeção do sêmen no útero, e, na FIV, realizamos a captação dos óvulos e a transferência dos embriões;
  • a dose de medicação utilizada na inseminação, no geral, é menor que na FIV, a não ser que opte pelo protocolo de mini FIV;
  • na FIV é possível utilizarmos espermatozóides extraídos do testículos, ou ejaculado, para inseminação, apenas ejaculado, seja ele congelado, ou não;
  • na FIV existe a possibilidade de análise genética do embrião;
  • na fertilização in vitro podemos separar a formação do embrião da implantação, e com isso, obter o melhor do ovário, com a estimulação ovariana, e num segundo momento, o melhor preparo do endométrio, para que tenha condições de implantar o embrião formado;
  • custo do tratamento: a FIV costuma ser um tratamento que pode custar o dobro ou o triplo do valor de uma inseminação. 

As chances de sucesso também são diferentes, no geral calculamos que a fertilização in vitro possa oferecer o dobro ou até três vezes mais chances de sucesso por tratamento em comparação com a inseminação intra-uterina. 

A indicação do tratamento será realizada por especialista em reprodução assistida, após uma avaliação criteriosa dos fatores que podem impactar as chances de sucesso do tratamento. Porém, no final, a decisão do tratamento é sempre do casal, ou da mulher que busca a gestação solo, avaliando chances de sucesso, custos, e vantagens e desvantagens de cada um dos tratamentos. 

Ficou alguma dúvida sobre as diferenças entre a FIV e a Inseminação? Então, continue lendo os artigos no blog da VidaBemVinda e saiba mais informações sobre esses temas. 

Compartilhe este post

Os comentários estão desativados.

Artigos relacionados