Dez dicas para aumentar a fertilidade do casal

Compartilhe este post

Nosso corpo e mente precisam estar saudáveis para nos sentirmos realmente bem. Constantemente, a mídia e os médicos nos alertam de que é preciso cuidar de nosso coração, sangue, ossos, pele, pulmão…

Mas há um aspecto de nosso organismo para o qual pouco olhamos, e quase não ouvimos recomendações sobre como preservá-lo: a fertilidade.

Muitas pessoas afirmam que ter um bebê será uma das partes mais importantes de suas vidas, mas poucas consideram que podem surgir problemas na hora de resolver engravidar. E se não for tão garantido, tão fácil como parece? Durante sua trajetória, você se cuidou e preservou a saúde do seu sistema reprodutor?

E, de fato, pode não ser tão fácil assim: especialistas advertem que um em cada seis casais encontra dificuldades para engravidar.

Discutir as causas é sempre uma tarefa difícil e delicada: há a questão da idade da mãe, fatores ambientais, condições médicas e o estilo de vida do casal. O que interfere negativamente para uma pessoa pode não influenciar para outra.

No geral, porém, há algumas dicas que podem ser seguidas e que contribuirão para a fertilidade:

1.   Cuide do peso: manter um peso saudável é um bom conselho para qualquer pessoa, pois isso contribui para o bem estar de muitos aspectos do organismo. Procure balancear o consumo de proteínas, carboidratos e fibras. A prática de atividades físicas, pelo menos meia hora por dia, também ajuda no controle do peso. Mas atenção aos extremos: baixo peso também é prejudicial à fertilidade;

2.   Reduza o café: médicos indicam que o limite diário da bebida deve ser de uma a duas xícaras quando se tenta engravidar;

3.   Deixe o álcool de lado: o álcool pode comprometer a fertilidade, seja a feminina ou a masculina. Seu consumo pode aumentar risco de abortamento e afetar a qualidade dos espermatozoides;

4.   Deixe o cigarro e as drogas mais de lado ainda: o cigarro é o maior inimigo da fertilidade, e o que mais pode impactá-la negativamente. Quanto às demais drogas, não é recomendável usá-las, nem mesmo ocasionalmente, enquanto se tenta engravidar e até depois da concepção. A maconha piora a qualidade do sêmen e reduz as taxas de gravidez mesmo em tratamentos de reprodução assistida;

5.   Drible o estresse: o descanso e relaxamento são essenciais para o bom funcionamento do organismo. Situações estressantes constantes podem alterar o ciclo menstrual, causando distúrbios de ovulação. É essencial combater o estresse nessa fase. Geralmente, vivemos algum tipo de estresse com certa frequência, mas tudo pode mudar dependendo de como você lida com ele;

6.   Cuidados com lubrificantes: alguns afetam a qualidade dos espermatozoides e podem impactar negativamente nas tentativas de concepção. Prefira os lubrificantes à base de água, sem espermicida, claro!

7.   Tome ácido fólico: os especialistas recomendam que as mulheres comecem a tomar ácido fólico cerca de três meses antes de começar a tentar engravidar e continuem até pelo menos os três primeiros meses de gravidez;

8.   Controle os medicamentos que utiliza: faça uma revisão com seu médico dos medicamentos e suplementos que toma com frequência, para identificar o que pode ou não ser mantido. Muitas mulheres usam hormônio da tireoide para controle de hipotireoidismo e isso deve ser controlado para aumentar as chances de sucesso e de a gestação correr bem;

9.   Investigue sua saúde: antes de tentar engravidar, visite m ginecologista e procure fazer todos os exames de controle como Papanicolaou, exames gerais e específicos, além de checar sua carteira de vacinação e níveis de vitamina D;

10.   Não se exponha a toxinas: algumas profissões demandam uma maior exposição a toxinas ambientais. Mas é sempre possível reduzir o risco. Se você trabalha com alguma ou fica próxima a elas, é preciso se proteger devidamente.

Se você procura engravidar, cuide do seu organismo por completo. Todos os aspectos influenciam na sua saúde e na saúde do seu futuro bebê. Busque a melhor qualidade de vida para proporcionar a ele uma gestação saudável e, consequentemente, uma vida equilibrada.

Compartilhe este post

Os comentários estão desativados.

Artigos relacionados