6 erros comuns sobre a fertilidade

Compartilhe este post

Basta a ideia de ter um bebê entrar nos planos para os casais ouvirem todo tipo de recomendações sobre como aumentar a fertilidade, facilitar a concepção e identificar o período fértil. Mas algumas convicções do senso comum podem mais atrapalhar do que ajudar, aumentando a ansiedade e gerando frustrações.

Conheça alguns dos erros mais comuns quando o assunto é fertilidade e confira se você não está caindo em algum deles!

Ter muitas relações sexuais

Fazer sexo todos os dias com o único objetivo de gerar uma criança pode trazer grandes problemas para o casal, já que a relação sexual pode virar uma obrigação e fonte de estresse e desgaste emocional. A recomendação médica para aumentar a chance de concepção é ter relações a cada 2 dias ou uma vez ao dia, no período fértil.

Ter poucas relações sexuais

Deixar para fazer sexo apenas no período que se imagina ovular é um risco. Mesmo que seu ciclo menstrual seja regular, as ovulações podem variar a cada mês e você pode perder o dia mais propício para a fecundação. A recomendação é de ter relações sexuais cerca de 6 dias antes da ovulação e até 1 dia depois. Isso aumenta as chances de engravidar, já que após a relação sexual os espermatozoides vivem dentro do corpo feminino por até 5 dias, o que permite que uma relação sexual vários dias antes da data exata da ovulação leve à fecundação.

Demorar a buscar ajuda de um especialista

Até os 35 anos, é normal que a mulher leve até um ano para conseguir engravidar. Estima-se que 85% das pacientes saudáveis engravidarão nesse espaço de tempo. Mas há exceções, e se você teve alguma infecção pélvica importante tem histórico de doenças sexualmente transmissíveis, ovários policísticos ou endometriose, buscar a ajuda de um especialista em menor tempo é essencial.

As mulheres com mais de 35 anos devem procurar um especialista seis meses após as tentativas, pois naturalmente há uma queda na fertilidade feminina. E as mulheres com 40 anos ou mais devem buscar um especialista imediatamente, pois nessa fase, todo mês é precioso.

Imaginar que o problema é apenas com a fertilidade feminina

Quando o casal não consegue engravidar, imagina-se logo que o problema é de infertilidade feminina. Em 40% dos casos, a dificuldade será mesmo da mulher, mas em outros 40% as causas de infertilidade estão relacionadas aos homens — eles podem produzir poucos espermatozoides ou os espermatozoides terem problemas de motilidade. Uma análise do sêmen garantirá se a quantidade está normal e se os espermatozoides são capazes de alcançar o óvulo normalmente.

Em outros 20% dos casos de dificuldade para engravidar, o problema pode ser de ambos ou de nenhum dos dois. Por isso, é importante que o casal seja avaliado para que o especialista identifique onde está o problema e possa ajudá-los a realizar o desejo de ter um filho.

Ter obsessão por posições sexuais

A posição sexual não tem nenhuma influência na concepção de uma criança. Após a ejaculação, os espermatozoides levam minutos para chegar ao óvulo, independentemente da posição em que o sexo foi feito ou se a mulher vai levantar as pernas ou manter os quadris altos após a relação. Não precisa se preocupar com o excesso de líquido que sai após o ato sexual, os espermatozoides já cumpriram o seu caminho. Relaxe e aproveite o momento com seu parceiro.

Fazer duchas vaginais

As duchas vaginais desequilibram o pH da vagina e dificultam a mobilidade dos espermatozoides até o óvulo. Além disso, podem ser fontes de infecção vaginal. Manter o pH da vagina normal é essencial para que ela também esteja pronta para receber o sêmen.

Agora que você já conhece os erros mais comuns sobre fertilidade, reduza a ansiedade e fique confiante. E se for necessário, não hesite em buscar ajuda de médicos especialistas em reprodução humana.

Este post esclareceu as suas dúvidas? Tem alguma experiência para compartilhar? Não deixe de comentar!

Compartilhe este post

Os comentários estão desativados.

Artigos relacionados